No momento em que uma nova e jovem liderança se prepara para enfrentar os desafios de administrar a nossa Porto Alegre, é relevante destacar nome do extraordinário homem público, José Loureiro da Silva, prefeito da capital gaúcha nos períodos de 1937/1943 e 1960/1964.

É por todos reconhecido como um homem que, com a visão do bem comum, deixou um legado magnífico de obras que até hoje são marcantes na paisagem urbana e viária da cidade.

Nas duas vezes que Loureiro governou a cidade o fez com ousadia e percepção de futuro, deixou para seus pósteros grandes e arrojados empreendimentos levados até o final com denodo e dedicação.

São obras suas, entre outras: a Farrapos, a Salgado Filho, a André da Rocha, a Jerônimo de Ornellas, o ajardinamento definitivo do Parque da Redenção, a pavimentação de estradas, o saneamento do Arroio Dilúvio e de grandes áreas da cidade. Além disso, a implantação de 300 km de redes de água, novos reservatórios, a usina de recalque da Voluntários da Pátria, o Mercado Livre e o Centro de Saúde Modelo, ganhando a cidade, em retribuição, o Hospital de Pronto Socorro.

É de se ressaltar, ainda, sua preocupação com o meio ambiente ao adquirir os 1.300 hectares para o Parque Saint Hilaire e propugnar pela transferência do Hipódromo do Moinhos de Vento para o Cristal, para que se construísse no local o Parcão.

De Loureiro também partiu a iniciativa de contar com um grupo de significativa importância na cidade para assessorá-lo diante do acelerado desenvolvimento urbano que acontecia. Assim, dentre outras entidades, convocou a Associação Comercial de Porto Alegre para integrar o que hoje se constitui no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental.

A Associação Comercial de Porto Alegre, como sempre, preocupa-se com a cidade de Porto Alegre e seu desenvolvimento. Por isso, apoia firmemente o empreendimento que visa a efetiva recuperação do Cais Mauá, projeto capaz de impulsionar o comércio e serviços, com turismo e lazer, no Centro Histórico de Porto Alegre.

Mesmo com manifestações de pequeno e atuante grupo que, diferentemente do insigne homem público aqui citado, ao que parece preferem a estagnação e o atraso obscurantista, a ACPA está a regozijar-se com a recente aprovação do Estudo de Viabilidade Urbanística de tão importante empreendimento para nossa cidade.

Portanto, conclama ao Prefeito escolhido pela maioria da população de nossa cidade para que também apoie o empreendimento que surge para engrandecer sobremaneira nossa querida Porto Alegre.

Newton W. da Motta

Engenheiro Civil, advogado especialista em Direito Empresarial e Econômico e Vice-presidente da ACPA

Anúncios