É fundamental a regularização da guarda dos filhos. Observa-se que os genitores que não tem qualquer relação afetiva, um casamento ou uma união estável, quando a criança nasce,  a guarda fica  com a mãe em quase a totalidade dos casos. E a separação dos pais também é outra situação em que surge a necessidade de regularizar judicialmente a guarda dos filhos, que poderá ser unilateral (materna ou paterna) ou compartilhada.

Não é raro atender telefonemas de que o pai levou a criança para passar algumas horas na praça e não devolveu no dia e horário combinado. Não é incomum uma mãe com a guarda de fato resolver morar em outro estado e levar a criança sem avisar.

A sentença judicial definindo a guarda do menor vai poupar você de enormes problemas e preocupações.

Sem a regularização da guarda, caso ocorra um problema, o teu advogado vai ter que provar quem é o genitor detentor a guarda de fato, um processo de conhecimento que leva tempo e poderá impedir que o Juiz conceda uma liminar na Ação de busca e apreensão de menor.

Crédito da foto <a href=”http://www.freepik.com”>Designed by Freepik</a>.

Linda Ostjen

Advogada, licenciada em Letras pela PUC/RS, bacharel em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito da PUCRS, com especialização em Direito Civil pela UFRGS e Direito de Família e Sucessões pela Universidade Luterana (ULBRA/RS), Mestre em Direitos Fundamentais pela Universidade Luterana.
Escritório em Porto Alegre/RS, Av. Augusto Meyer, 163 conj. 304.
Email: linda@ostjen.com

Anúncios