A  guarda compartilhada surgiu para trazer muitos benefícios aos pais e filhos. Instituída em 2008, com muita fé em melhorar a vida das famílias.

Os pais são igualmente prestigiados na criação de seus filhos, pois a responsabilização conjunta e o convívio equilibrado são os pontos fortes deste tipo de guarda.

Quanto aos filhos, todos eles são merecedores de uma criação harmônica após-separação ou se os genitores não tiveram casamento ou união estável.

Os genitores são participativos.O maior requisito para a guarda compartilhada é sem dúvida o inequívoco comprometimento de ambos os pais na criação e felicidade dos filhos, pois ela deve ser efetivamente exercida diariamente pelo pai e pela mãe, observando-se, obviamente, os limites do convívio distanciado pela separação do casal.

Crédito da foto Projetado pelo Freepik

Linda Ostjen

Advogada, licenciada em Letras pela PUC/RS, bacharel em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito da PUCRS, com especialização em Direito Civil pela UFRGS e Direito de Família e Sucessões pela Universidade Luterana (ULBRA/RS), Mestre em Direitos Fundamentais pela Universidade Luterana.
Escritório em Porto Alegre/RS, Av. Augusto Meyer, 163 conj. 304.
Email: linda@ostjen.com

Anúncios