A guarda compartilhada confere aos dois genitores a participação em todas as decisões: a educação, saúde, religião e tudo o que se refere à criança será de comum acordo. Mas não há como dividir o tempo igual, idêntico com cada um genitor, não funciona na prática.

E a criança deve ter um referencial de moradia.

 Crédito da foto:

Designed by tirachard / Freepik

Linda Ostjen

Advogada, licenciada em Letras pela PUC/RS, bacharel em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito da PUCRS, com especialização em Direito Civil pela UFRGS e Direito de Família e Sucessões pela Universidade Luterana (ULBRA/RS), Mestre em Direitos Fundamentais pela Universidade Luterana.
Escritório em Porto Alegre/RS, Av. Augusto Meyer, 163 conj. 304.
Email: linda@ostjen.com

Anúncios