Interdição é um procedimento judicial no qual o Juiz reconhece por meio de sentença que falta ao sujeito interditado a capacidade de fato.

Essa capacidade de fato, também conhecida como capacidade de exercício, é a aptidão específica para exercer por si só atos da vida civil, ou seja, praticar sozinho os atos da vida civil. Portanto, através da ação de interdição, o juiz reconhece que falta capacidade de discernimento ao interditado e, por isso, de modo total ou parcial, sua vida merece ser administrada por um terceiro (o curador).

Linda Ostjen
Advogada, licenciada em Letras pela PUC/RS, bacharel em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito da PUCRS, com especialização em Direito Civil pela UFRGS e Direito de Família e Sucessões pela Universidade Luterana (ULBRA/RS), Mestre em Direitos Fundamentais pela Universidade Luterana.
Escritório em Porto Alegre/RS, Av. Augusto Meyer, 163 conj. 304.
Email: linda@ostjen.com

Anúncios