Escolher um carro é uma decisão importante, não é mesmo? Afinal de contas, para a grande maioria das pessoas, comprar um veículo significa se comprometer com um financiamento, muitas vezes, de médio a longo prazo.

Mas e quando, depois de um tempo, por não ter gostado do modelo ou desejar outro modelo, você resolve que quer trocar de carro?

Teoricamente, seria só encontrar um comprador, seja particular ou uma revenda, vender o veículo e, se fosse o caso, escolher o modelo novo e arcar com a diferença entre eles, certo? Sim, mas nem sempre é tão simples, como quando, por exemplo, você resolve trocar carro com dívida, ou seja, no meio do financiamento.

E então, será que é possível trocar carro com dívida? No post de hoje, nós vamos levantar essa questão e responder às principais dúvidas relacionadas a ela. Confira.

Trocar carro com dívida: como funciona?

Como vimos, muitas pessoas compram seus carros a partir de financiamentos, e, dependendo da entrada dada, a maior parte do valor total do veículo acaba sendo parcelada. É aí que surge a principal dúvida a respeito da troca de carro: é possível fazê-la quando o financiamento ainda está em curso, ou seja, não foi totalmente quitado?

Ao contrário do que muitos pensam, é, sim, possível, trocar carro com dívida e escolher outro modelo, desde, é claro, que o veículo esteja no seu nome. Nesse caso, são três as opções possíveis: quitar a dívida junto ao banco, transferir o financiamento para o comprador, ou, então, vender para uma revendedora que, automaticamente, vai assumir a dívida do veículo e pagá-la integralmente ao banco.

Mas e se o carro estiver com parcelas em atraso?

Sim, mesmo com parcelas em atraso você pode trocar de carro. Neste momento quem irá comprar o seu carro, revenda ou particular, precisará pagar de uma vez só toda a dívida. A maior parte das lojas assume esse compromisso.

Mas fique de olho: as multas e taxas de juros por atraso em bancos e financeiras costumam ser altas e deixar parcelas atrasadas por muitos meses pode fazer sua dívida virar uma bola de neve ou até mesmo fazer com que a instituição financeiras entre com mandato de busca e apreensão do veículo.

Trocar carro com dívida é sempre uma boa opção?

A lógica de um financiamento de carro é simples: você dá uma entrada e contrata o serviço de uma instituição financeira para assumir o restante do valor do veículo. Para ter a segurança e a garantia de que vai receber os pagamentos conforme especificado em contrato, a financiadora cobra juros em cima das parcelas, que são calculados mensalmente.

O que acontece é que, como essas taxas podem ser altas, dependendo do estágio em que estiver o financiamento, trocar carro com dívida pode se tornar um negócio inviável para o proprietário.

Digamos que você tenha comprado um carro no valor de R$40 mil, com entrada de R$20 mil e feito um financiamento dos outros R$20 mil, a serem pagos em 48 meses. Se, no decorrer desse período, você decidir trocar de veículo, por exemplo, na 12ª parcela do financiamento, pode ser que a sua dívida seja maior do que o valor do carro na tabela FIPE.

Por quê? Exatamente por conta da taxa de juros e da desvalorização do veículo. Nesses casos, para poder trocar carro com dívida, seria preciso pagar a dívida junto ao banco. É claro que, por conta da legislação, é possível conseguir um desconto no abatimento da dívida, geralmente de 30%, uma vez que as instituições financeiras não podem cobrar juros em cima de parcelas que ainda não venceram, mas, mesmo assim, isso não significa que trocar carro com dívida seja viável. Isso porque, para quitar esse financiamento, vai ser preciso investir uma quantia considerável, que deve ser somada, ainda, à entrada de um novo carro escolhido.

Portanto, antes de trocar carro com dívida, é preciso consultar o seu valor total de quitação junto ao banco ou financeira. Tendo esse número em mãos é fácil: veja a FIPE do seu veículo e  compare com o total da dívida para ter noção se trocar agora será um negócio vantajoso.

Como consultar o valor total de quitação do financiamento do carro?

Quer um conselho? Se você quer trocar carro com dívida, antes mesmo de procurar pelo modelo novo, visitar revendedoras e fazer test drive, verifique o valor total de quitação do financiamento.

Apesar de muitas pessoas postergarem a consulta da quitação, por acreditarem que precisam ir pessoalmente até uma instituição financeira, esse procedimento é mais simples do que parece. Os principais bancos do mercado oferecem essa opção nos seus portais na internet, bastando, apenas, preencher os dados do financiamento para chegar ao valor final de quitação. A partir daí, se for vantajoso, é só dar continuidade às negociações para trocar de carro e comprar aquele que você está de olho.

Viu como trocar carro com dívida é, sim, possível? Ficando atento à questão da quitação do financiamento, você pode fazer um bom negócio. E então, ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima.

Anúncios