Segundo jornal italiano, jogador teria cometido violência sexual em grupo contra uma jovem albanesa em 2013, quando defendia o Milan.

O atacante Robinho, que atualmente defende o Atlético-MG, foi condenado pela nona seção do Tribunal de Milão a nove anos de prisão por “violência sexual em grupo”, com mais cinco homens, contra uma mulher albanesa de 22 anos.

De acordo com o Corriere dello Sport, o ato criminoso teria ocorrido em uma boate na cidade de Milão no dia 22 de janeiro de 2013. Neste período, Robinho atuava no Milan-ITA). Cabe recurso da decisão.

Segundo o veículo, Robinho teria conhecido a jovem durante um jantar na capital italiana em janeiro de 2013, quando era acompanhado por alguns amigos e por sua esposa. De acordo com a acusação, o estupro aconteceu nesta noite e a vítima fez a denúncia alguns meses depois.

Os investigadores da operação coordenada pelo vice-procurador Pietro Forno e pela promotora Alessia Mel, ouviu a provável vítima e o jogador publicou um esclarecimento sobre a situação durante o período de verão europeu em 2014.

Após a acusação, o Ministério Público solicitou a detenção de Robinho, mas a juíza Alessandra Simion não levou o pedido à frente alegando que não havia risco de reincidência, fuga do atleta ou anulação de provas.

Fonte: https://goo.gl/iZJmj1

Anúncios