Fotos de jovem emocionam

Luia e do Renato, que tem Alzheimer - Foto: Nataly Motta               Luia e do Renato, que tem Alzheimer – Foto: Nataly Motta

 

O trabalho sensível e emocionante de uma jovem fotógrafa brasileira mostra que a força do amor, um sentimento supremo, supera preconceitos, doenças, deficiências… e resiste!

Nataly Motta, de 20 anos, se especializou em registrar gratuitamente o amor entre casais que têm histórias de superação. Muitas fotos dela envolvem casais interraciais, homoafetivos, com deficiências… Um deles tem Alzheimer. (foto acima e vídeo abaixo)

“É a história de amor da Luia e do Renato. Ele tem Alzheimer e mesmo não lembrando dela, a cumplicidade e alegria permanecem na rotina dos dois. Para eles, o amor não faz parte do que a gente lembra e sim de quem a gente é” contou Nataly Motta em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Estudante de Publicidade e Propaganda, a fotógrafa de Cachoeirinha – região metropolitana de Porto Alegre, RS – procura mostrar que sempre temos razões para amar.

“Mostrar que ainda há razões para amar, que casais escolhem se amar apesar das diferenças, que um abraço pode mesmo ser de graça, que precisamos nos conectar mais e olhar mais para o outro. [Estes] são alguns motivos pra fazer tudo isso”, conta.

Emoção em alto relevo

Henriqueta e Cristiano, ambos deficientes visuais ganharam um presente especial de Nataly. Depois do ensaio fotográfico que fizeram, como não enxergam, eles receberam uma foto tátil. E se emocionaram…

Nas imagens do vídeo abaixo, eles aparecem “sentindo a fotografia em alto relevo que fizemos especialmente para eles. Afinal, se as pessoas demonstram amor de formas diferentes, também devemos entregar de formas diferentes para cada uma delas”, diz a fotógrafa.

Nataly calcula já ter fotografado 150 casais.

“Sempre que vejo uma história que pode inspirar outras pessoas, faço de forma gratuita”, diz a estudante que trabalha profissionalmente com fotografia de casamentos e criação de conteúdo para marcas parceiras.

Henriqueta e Cristiano, sentido a foto deles em alto relevo - Foto: Nataly Motta

Detalhe da foto em alto relevo de Henriqueta e Cristiano - Foto: Nataly Motta

Olhar positivo

Desde criança Nataly Motta pensa em fazer um trabalho para mostrar o amor.

“Desde pequena, senti a necessidade de revelar um olhar positivo sobre as formas de amar”.

Ela começou a fotografar aos 12 anos.

“Nessa época, escrevi em um diário que gostaria de “espalhar amor pelo mundo”. Aos 15 eu já fotografava casamentos e já tinha a minha própria empresa. Em 2015, encontrei o diário em que havia escrito aquele sonho de criança e percebi que eu poderia realizá-lo. 

Foi nessa época que ela criou o projeto #AssinadoAmor, com correntes de abraços, exposições e experimentos sociais.

“Descobri que para todos [os casais] o amor tinha um significado diferente, afinal somos únicos”, lembra.

Ela começou então um trabalho para quebrar estereótipos, preconceitos.

“Imaginei que lindo seria se as pessoas só pudessem ver “amor”. E o mais incrível é que através da câmera tenho a capacidade de “focar” no que realmente precisa ser “visto/sentido”: o amor, o respeito e esperança”, diz.

Roberta e Gabriel - Foto: Nataly Motta

“Quem não acredita, não age”

Nataly fez um experimento social, em setembro de 2017 para entender o motivo de as pessoas estarem tão descrentes, tão sem esperança, inclusive nas relações pessoais, no amor.

“Convidei pessoas para descartarem em uma lixeira tudo aquilo que as impede de amarem mais. De quase mil papéis, 70% deles diziam “medo””, conta.

Ela acredita que isso tenha relação com as notícias com sangue e violência que explodem diariamente na mídia.

“Nos principais veículos de comunicação, o que não faltam são motivos para não amar, notícias ruins circulam todos os dias e as pessoas quase não veem razões para acreditar em um mundo melhor. Quem não acredita, não age”, alerta.

E o que ela ganha fotografando de graça o amor entre as pessoas?

“Com certeza, são as emoções que vivo por trás das lentes, o resto é apenas uma consequência… O maior presente é ver o brilho nos olhos de cada pessoa ao olhar as fotos. Através das lentes, os pequenos gestos de carinho relevam sentimentos transformadores, capazes levar esperança para quem vê as fotografias”, diz.

Nataly reuniu parte desse trabalho sensível e emocionante em um vídeo chamado Amor Gera Amor. Assista:

Veja outros ensaios da fotógrafa no Instagram e no site de Nataly

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa

Fonte: https://goo.gl/LtXfNL

Anúncios