Foto: reprodução - Lucas Cerejo/TV TEMFoto: reprodução – Lucas Cerejo/TV TEM

As voltas da vida… Dizem que não adianta fugir do destino, não é? Adail e Bonifácio são

prova disso. Eles se casaram após 48 anos, quando se reencontrarem em uma lar para idosos.

Adail de Souza Lima, de 62 anos e o aposentado Bonifácio Gonçalves de Faria, de 86, foram namorados na adolescência.

“Consegui realizar o que mais queria, que era casar com o homem da minha vida. Me senti uma rainha em direção ao meu rei.”

O reencontro dos dois foi no Lar São Vicente de Paulo, em Itapetininga, interior de São Paulo.

Depois de tantos desencontros, os dois resolveram selar o amor e se casar na capela do lar onde moram.

A cerimônia foi com igreja decorada, buquê, marcha nupcial e muita emoção. Tudo com ajuda de voluntários encantados com a história.

“Foi um dia muito especial. Não tem como não segurar as lágrimas. Eu sempre soube que ele era o homem da minha vida. Estávamos destinados a ficar juntos”, ressalta Adail.

15 anos de procura

Adail conta que os dois se conheceram quando ela tinha 14 anos e morava em Cruzeiro do Oeste, no Paraná. Mas a família não aceitava o relacionamento porque na época Bonifácio era 25 anos mais velho: tinha 39 anos.

“Ele foi contratado pelo meu cunhado para trabalhar de tratorista e quando nos vimos foi amor à primeira vista. Porém, minha irmã não nos deixou namorar porque eu era muito nova. Depois ele mudou de cidade e não nos vimos mais”, conta emocionada.

Bonifácio diz que tentou encontrar Adail por anos, mas não conseguiu.

“Eu fiquei pouco tempo no Paraná e quando voltei não a encontrei mais. Durante 15 anos eu procurei por ela, fui para São Paulo, Rio de Janeiro, mas nada. Pensei que nunca mais iria vê-la novamente”, diz.

Reencontro

Durante esses anos Adail se casou, teve três filhos, ficou viúva e acabou indo morar com a irmã. Depois, foi levada para o lar de idosos em Itapetininga, onde mora há 10 anos.

Já Bonifácio se casou e teve um filho. Também viúvo, ele foi levado para o mesmo lar por um sobrinho e mora no local há dois anos.

Até que um dia, no ano passado, ele a viu, os dois relembraram do amor vivido no passado e começaram a namorar.

“Eu a vi sentada em um banco aqui do asilo e não acreditei. Não sabia que ela morava aqui também. Foi minha maior alegria”, conta o noivo.

Foto: Lucas Cerejo/TV TEM

Voluntários

O cabelereiro Marcelo Mendes foi um dos voluntários. Ele também conseguiu reunir um grupo de amigos e organizou a a cerimônia completa com direito até de um carro conversível para levar a noiva até a porta da capela do asilo.

“Ficamos sabendo por acaso desse casamento. Perguntaram se eu poderia ajudar na decoração e, então, na hora mandei mensagem para um grupo de amigos solidários e todos se mobilizaram. Conseguimos o vestido, decoração”, diz.

“Foi gratificante ver a felicidade deles, principalmente depois de tudo o que passaram. Graças a Deus deu tudo certo e foi uma missão cumprida”, finaliza.

A cerimônia teve a presença de funcionários do lar e voluntários.

Fonte:  G1

 

Anúncios