Narcisista, egocêntrica, infantil, imatura e incapaz de autocrítica.
Este é o perfil de um teste psicológico ao qual foi submetida Suzane von Richthofen.

Condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, a paulistana passou pelo teste de Rorschach – conhecido como teste do borrão de tinta – mais um passo para que a Justiça conceda, ou não, o pedido de progressão ao regime aberto.

O resultado revela, segundo o G1, que a detenta representa “risco potencial à sociedade” por ter “dificuldade de avaliar o resultado dos próprios atos”. O exame foi pedido pelo Ministério Público (MP).

Este não é o primeiro teste de Rorschach ao qual Suzane é submetida.

Em 2014, os borrões apontavam egocentrismo elevado. Como foi realizado há quatro anos, no entanto, o resultado de agora poderia ser diferente.
Presa em Tremembé, em São Paulo, Suzane solicitou a mudança na pena há um ano.

Não há prazo para que seja decidido se a detenta cumpra o restante da sentença em liberdade.

Por Notícias ao Minuto
Fonte: http://www.noticiasaominuto.com.br

Anúncios