A falta de educação sexual em casa e na escola é a causa maior da homofobia

A homossexualidade, caracterizada como sendo a atração afetivo-sexual por pessoas do mesmo sexo, sempre existiu, nas várias sociedades e culturas.
Na antiga e famosa obra clássica da literatura árabe ‘As mil e umas noites’ assim está escrito: ”Há pessoas que se apaixonam e sentem atração afetivo-sexual pelas pessoas do sexo oposto; há pessoas que se apaixonam e sentem atração pelas do mesmo sexo e há aquelas que o fazem por ambos os sexos”.
Na Grécia Antiga, o homoerotismo era considerado comum e respeitável, sendo um ritual de passagem da adolescência para a vida adulta, no qual homens adultos iniciavam sexualmente os rapazes de 12 a 20 anos.

Contudo, desde longa data até os dias de hoje observamos que a homossexualidade é vista de forma preconceituosa, sendo considerada crime em 75 países.
No Brasil, que não faz parte deste conjunto, o crime consiste em discriminar gays, lésbicas, travestis e transexuais. Apesar disso há um alto índice de registros de agressões e assassinatos de pessoas que fogem ao padrão hetero. É denominada homofobia a aversão, o desprezo e toda forma de agressão física, verbal e psicológica a pessoas homossexuais.

 

Por que muitos têm ódio de pessoas homossexuais?

Podemos dizer que a Igreja e a Ciência foram os maiores responsáveis pelo preconceito.

Para a Igreja, o sexo sempre foi visto como necessário para a procriação, jamais para o prazer.

Assim, toda prática sexual que não fosse voltada para esse fim era tida como pecaminosa, conforme apontava São Tomás de Aquino no século 16.

É o caso da masturbação, sexo oral e anal e da homossexualidade.

Então por causa principalmente da associação entre sexo e procriação a homossexualidade foi e continua sendo reprovada pela Igreja, da linha tradicional do catolicismo, bem como de outras religiões.

A medicina, na 2 metade do século 19, rotulou-a como doença e apontou para a necessidade de tratamento.

Só a partir da década de 1970 passou a não mais considerar a homossexualidade como doença mental nem transtorno sexual.

 O pesquisador Judd Marmor de forma resumida apresenta os três principais fatores que favorecem a homofobia:
1. forte doutrinação religiosa;
2. ignorância do que seja a homossexualidade; e/ou
3. profunda insegurança (e medo) em relação à própria sexualidade e/ou orientação sexual.
Considero que o desconhecimento a respeito da diversidade sexual e da sexualidade como um todo seja o principal fator.
Podemos afirmar que a falta de educação sexual em casa e na escola é a causa maior da homofobia. Sobretudo a falta de uma educação pautada em valores morais, de respeito ao próximo, ao diferente, incluindo-se todo tipo de diversidade.

 

O mais triste em relação a este assunto é que a homofobia é o mais tenebroso dos preconceitos, porque é no próprio lar da pessoa homossexual que ela se manifesta primeiro e mais fortemente.

 

Fonte: https://goo.gl/noVeWz

Anúncios