Sim, esse regime pode ser exercido mesmo à distância – inclusive em países diferentes.

O juiz estabelecerá como local de moradia o que melhor atender aos interesses da criança.

O critério é o melhor interesse da criança. E pais que interagem bem para o melhor desenvolvimento do filho que têm em comum só melhoram a situação, não só para si, mas para o filho.

E a convivência com o pai que mora longe deverá ser compensada durante feriados ou períodos de férias.

Advogada divorcista Linda Ostjen

lindaostjen@gmail.com

linda@ostjen.com

Anúncios