ADVOGADOS EM PORTO ALEGRE
Linda Ostjen, Advogada em Porto Alegre

Depende do caso.

A guarda compartilhada visa o melhor para as crianças e não para os pais.

O litígio do casal é levado em consideração, mas o que prevalece é o bem-estar dos filhos.

E é importante analisar o caso, pois o critério é o melhor interesse da criança. E o  “bem-estar” para um adolescente de 17 anos é bem diferente do que para uma criança de 2 anos.

Se houver possibilidade de consenso amigável no curso da ação de divórcio por certo que a guarda compartilhada prevalecerá.

Mas, por outro lado,  se a convivência prejudicar o desenvolvimento e a paz do menor, a guarda unilateral – em que apenas um dos genitores fica responsável pela criança – será acolhida.

Vale lembrar que a guarda compartilhada não é o direito de participar da vida do filho – é um dever dos genitores.

Advogada Divorcista Linda Ostjen

lindaostjen@gmail.com

linda@ostjen.com

Anúncios